Saúde em Pauta

Medicina Preventiva

Esta seção é apenas informativa e não deve ser utilizada para fins de autodiagnóstico ou automedicação. Consulte seu médico regularmente.

Selecione acima a letra sobre o assunto relacionado. Exemplo: A - Alimentação

D

Dengue

A dengue é uma doença infecciosa causada por um vírus transmitido pela fêmea do mosquito Aedes aegyipti. A palavra dengue significa dengoso ou requebrado e o nome da doença vem da maneira com que as pessoas que adquiriram a infecção caminham (requebram) ou ficam “de cama” (dengoso).

O Aedes aegypti é parecido com um pernilongo, tem a cor escura e manchas brancas pelo corpo e patas. Somente a fêmea do mosquito pica o ser humano, pois precisa do sangue para amadurecer seus ovos. Pode picar até 10 pessoas por dia, vive em média 30 a 40 dias e ataca principalmente durante o dia. 

Atualmente a dengue é considerada um dos principais problemas de saúde pública em todo o mundo. No Brasil, em 2013, foram notificados mais de 1,4 milhão de casos suspeitos de dengue.

Ao ser picado pela fêmea do mosquito contaminada pelo vírus da dengue, a pessoa adquire a doença. A grande maioria dos casos é assintomática. Quando surgem os sintomas, a pessoa apresenta fraqueza, perda do apetite, dores nas articulações, dor de cabeça, manchas vermelhadas pelo corpo e febre alta. 

O diagnóstico de certeza da dengue é laboratorial. Pode ser obtido por isolamento direto do vírus no sangue nos 3 a 5 dias iniciais da doença ou por exames de sangue para detectar anticorpos contra o vírus (testes sorológicos). Não há tratamento específico para a dengue.

A única forma de prevenção é impedindo o surgimento de criadouros do mosquito. Não tendo criadouros, não teremos mosquitos, nem dengue. Lembrar sempre que as larvas do mosquito se desenvolvem na água limpa e parada. 

Algumas atitudes são importantes para combater o mosquito e os focos de larvas, tais como:


• Manter a caixa d’água sempre fechada com tampa adequada;

• Remover folhas, galhos e tudo que possa impedir a água de correr pelas calhas;

• Não deixar a água da chuva acumulada sobre pisos e lages;

• Lavar semanalmente por dentro com escova e sabão os tanques utilizados para armazenamento de água;

• Manter bem tampados tonéis e barris d’água;

• Encha de areia até a borda os pratinhos dos vasos de planta;

• Se tiver vasos de plantas aquáticas, troque a água e lave o vaso principalmente por dentro com escova, água e sabão pelo menos uma vez por semana;

• Guarde garrafas sempre de cabeça para baixo;

• Entregue pneus velhos ao serviço de limpeza urbana ou guarde-os sem água em local coberto e protegidos da chuva;

• Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira bem fechada. Não jogue lixo em terrenos baldios.


Fique atento: a dengue pode matar.


Dia Nacional de Combate a Dengue: penúltimo sábado de novembro



Dia Internacional da Mulher

No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para 10 horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas.

Somente em 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o dia 8 de março passaria a ser o Dia Internacional da Mulher, em homenagem as mulheres que morreram na fábrica. Em 1975 a data foi oficializada pela Organização das Nações Unidas (ONU).

No Dia da Mulher não se pretende apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, por fim, terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.

Neste dia também se pretende chamar a atenção para o papel e a dignidade da mulher e levar a uma tomada de consciência do valor da pessoa, perceber o seu papel na sociedade, contestar e rever preconceitos e limitações que vêm sendo impostos à mulher.

Em um passado recente, as mulheres não podiam votar, não eram valorizadas pelo seu trabalho e recebiam um salário menor do que o dos homens, mesmo que executassem a mesma tarefa. Hoje em dia, após muito esforço e conquistas, as mulheres podem fazer a mesma coisa que os homens ou até ocupar cargos mais altos e merecem ganhar o mesmo que eles. Afinal, homens e mulheres têm os mesmos direitos.


Para todas as mulheres que diariamente fazem a vida acontecer, nosso carinho, respeito e admiração.


Dia Internacional da Mulher: 8 de março

Dia Nacional da Mulher: 30 de abril



Dia Internacional das Vítimas de Acidente de Trabalho e de Doenças Profissionais

No dia 28 de abril de 1969, ocorreu uma explosão na mina de Farmington – Virgínia – Estados Unidos onde morreram 78 mineiros. A partir desse acidente, o dia 28 de abril passou a ser lembrado como o Dia Internacional das Vítimas de Acidente de Trabalho e Doenças Profissionais em memória das vítimas das más condições de trabalho. Em 2003, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) instituiu a data para reflexão sobre a segurança e saúde no trabalho, sendo celebrados eventos em todo o mundo para a conscientização dos trabalhadores e empregadores quanto aos riscos de acidentes no trabalho. A data foi instituída no Brasil em 2005 pela Lei no 11.121/05. 

Segundo a OIT, 2,2 milhões de pessoas morrem anualmente em razão de acidentes de trabalho e de doenças relacionadas ao trabalho; estima-se que 270 milhões de trabalhadores sejam vitimados por acidentes de trabalho; e que 160 milhões de pessoas a cada ano são acometidas por doenças ocupacionais. Dos trabalhadores mortos, 22 mil são crianças, vítimas de trabalho infantil. No Brasil são quase 4 mil mortes por ano em decorrência de acidentes de trabalho.

Uma cultura de segurança sólida é benéfica para os trabalhadores, os empregadores e os governos. Diversas técnicas de prevenção revelaram a sua eficácia tanto para evitar os acidentes de trabalho e as doenças profissionais como para melhorar o desempenho das empresas. As rigorosas normas de segurança existentes em certos países são o resultado direto de políticas a longo prazo que incentivaram o diálogo e a negociação entre sindicatos e os empregadores, assim como legislação de segurança e saúde eficaz apoiada numa inspeção do trabalho dotada dos meios necessários.

Na grande maioria das vezes os acidentes e doenças no trabalho podem ser evitados através da prática de dicas relativamente simples de prevenção tais como:


• Conheça os riscos da atividade que desenvolve e quais as formas de proteção para reduzir esses riscos;

• Esteja atualizado e participe sempre das ações (cursos, palestras) oferecidos pela empresa;

• Siga todas as regras de segurança na realização de suas atividades, especialmente as perigosas;

• Mantenha seu local de trabalho organizado, não deixe objetos fora dos seus lugares ou mal arrumados;

• Use sempre os vestuários e equipamentos de proteção;

• Siga rigorosamente os procedimentos operacionais, não improvise e na dúvida PARE;

• Participe das campanhas de saúde e segurança e faça seus exames periódicos;

• Esteja sempre atento à percepção dos riscos.


Prevenir agora é investir no futuro.


Dia Internacional das Vítimas de Acidente de Trabalho e de Doenças Profissionais: 28 de abril



Dia Mundial da Saúde

No dia 7 de abril comemora-se o Dia Mundial da Saúde, data criada em 1948 pela Assembleia Mundial da Saúde que tem como objetivo conscientizar a população a respeito da qualidade de vida e dos diferentes fatores que afetam a saúde da população. Essa data foi estabelecida para coincidir com a data de fundação da Organização Mundial da Saúde.

Saúde não é somente uma palavra que caracteriza a ausência de doenças, uma vez que esse conceito envolve aspectos mais amplos, como o bem-estar físico, mental, social e espiritual. Segundo a Constituição Federal de 1988, Artigo 196, ela é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.

Diante desses aspectos, fica claro que a promoção da saúde depende de comportamentos individuais e também de aspectos de dimensão coletiva sendo, este último caso, uma questão intimamente relacionada às políticas públicas.

Propiciar às pessoas condições dignas de vida é um fator determinante na prevenção contra a ausência de saúde – o que não significa que devemos esperar somente intervenções externas para que, de fato, conquistemos uma boa saúde.

Nos dias atuais, com tantas atividades, esquecemos do que é mais importante para a nossa vida e nossa saúde e, neste contexto, o SSI Saúde alerta que todo o dia é dia de cuidar da saúde e que boas práticas que visem a sua promoção e a prevenção de doenças devem ser observadas no cotidiano tais como: alimentação saudável, realização de atividades físicas regulares, um bom descanso, cuidados com a higiene pessoal, horas de lazer, trabalho digno,  saneamento básico, estar em harmonia e equilíbrio consigo mesmo e com os outros, ter e praticar sua espiritualidade, contribuem não somente para uma boa saúde, mas também para uma vida com qualidade e plena de felicidade.


O cuidado com a saúde é um hábito que todos devem ter permanentemente.


Dia Mundial da Saúde: 07 de abril

Dia Nacional da Saúde: 05 de agosto



Dia Mundial do Coração

As doenças cardiovasculares são aquelas que afetam o coração e as artérias, como o infarto e acidente vascular cerebral (“derrame cerebral”), arritmias cardíacas, isquemias ou anginas. A principal característica das doenças cardiovasculares é a presença da aterosclerose, acúmulo de placas de gorduras nas artérias ao longo dos anos que impede a passagem do sangue.

As doenças cardiovasculares, principalmente os infartos e derrames, são as principais causas de morte em todo o mundo. Estima-se que elas causem 17,3 milhões de mortes por ano no mundo. São responsáveis por quase 30% de todas as mortes registradas por ano no Brasil, sendo que aproximadamente 60% dessas vítimas são homens, com média de idade de 56 anos. A alta frequência do problema coloca o Brasil entre os 10 países com maior índice de mortes por doenças cardiovasculares.

No dia 25 de setembro celebra-se o Dia Mundial do Coração, que representa uma data importante para lembrar a todos da necessidade de se cuidar desse órgão vital, pois a melhor forma de evitar o surgimento das doenças cardiovasculares é a prevenção, através da adoção de hábitos de vidas saudáveis. Veja abaixo algumas dicas:


• Adote uma alimentação saudável, rica em frutas, legumes, hortaliças, cereais integrais e castanhas; 

• Reduza a ingestão de gorduras, doces e refrigerantes;

• Substitua o leite integral por desnatado; prefira os queijos brancos;

• Não exagere no sal;

• Coma peixe 2 a 3 vezes por semana; sardinha, atum e salmão são os mais ricos em ômega 3;

• Beba 6 a 8 copos de água por dia;

• Mexa-se! Pratique 30 minutos de exercício físico 4 a 5 vezes por semana. Mas, antes de iniciar qualquer atividade, é preciso passar por avaliação médica;

• Diga não ao estresse! Cultive o bom humor, não guarde mágoas, relaxe. Aulas de yoga, alongamento e dança são excelentes opções;

• Não fume! Não é fácil se livrar do cigarro, mas saiba que você não está sozinho. Há grupos de apoio e opções de tratamento medicamentoso que auxiliam no abandono do tabagismo;

• Visite periodicamente seu médico. Manter bons níveis de pressão arterial, glicose e colesterol são essenciais para a saúde do seu coração;


Cuide-se bem para viver mais e melhor. Nunca é tarde para começar, o seu coração agradece.


Dia Mundial do Coração: 25 de setembro



Dia Mundial do Rim

A doença renal é uma enfermidade complexa e fatal. As principais causas de perda da função renal são a hipertensão arterial (35% das causas), diabetes mellitus (28,5%) seguidas das glomerulonefrites (11,5%).

No Brasil, cerca de dez milhões de pessoas têm alguma disfunção renal. A prevalência de doença renal crônica é de 50/100.000 habitantes, inferior ao que é visto nos Estados Unidos (110/100.000) e no Japão (205/100.000), o que sugere que seja uma doença subdiagnosticada no nosso meio. 

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia existem em torno de 100 mil brasileiros em diálise. A grande maioria dos pacientes falece sem sequer ter acesso a essa terapia, por falta de diagnóstico. O custo somente com a terapia renal substitutiva é superior a dois bilhões ao ano. 

Diante desse cenário, o papel fundamental do Dia Mundial do Rim é a orientação de todos sobre a importância da prevenção das doenças renais e do diagnóstico precoce. Se forem detectadas precocemente, as doenças renais podem ser tratadas, reduzindo, assim, outras complicações e diminuindo drasticamente o peso crescente de mortes e invalidez por doença renal e cardiovascular no mundo inteiro.


As 8 regras de ouro para prevenção da doença renal são:


1) Saiba a sua pressão arterial;

2) Controle o açúcar no sangue (glicemia);

3) Faça atividades físicas;

4) Reduza o sal da comida;

5) Beba água;

6) Não fume;

7) Não use remédios sem orientação médica;

8) Pare de agredir seus rins e fique sabendo se eles estão bem.


Para saber se seus rins estão funcionando adequadamente, responda as seguintes perguntas:


• Você tem pressão alta?

• Você tem diabetes?

• Você está acima do peso?

• Você tem mais de 50 anos?

• Você tem doença dos rins na família?

• Você costuma tomar remédios sem orientação médica?


Se você respondeu sim em alguma dessas questões, pergunte ao seu médico se seus rins estão bem. Proteja seus rins.


Dia Mundial do Rim: 8 de março



Dia Nacional da Mobilização pela Promoção da Saúde e Qualidade de Vida

A saúde não é apenas a ausência de doença física. O conceito de saúde é bem mais amplo, envolvendo o bem-estar físico, mental, social e espiritual.

A Constituição de 1988 em seu artigo 196 define que “A Saúde é um direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas.” Há, assim, uma clara percepção de que a qualidade de vida resulta da convergência de um amplo leque de ações e políticas – indo do saneamento, da habitação, da educação e da cultura até as políticas voltadas para a geração de renda e emprego. Esta intersetorialidade das ações relacionadas à saúde manifesta-se concretamente nas localidades e nos ambientes institucionais onde vivem as pessoas, condicionando sua qualidade de vida. A busca de ações intersetoriais, que possuem alta complementaridade e sinergia, deve ser focada principalmente nos municípios (municípios saudáveis), nas escolas e nos ambientes de trabalho. Como desdobramento dessa percepção, um ambiente socioeconômico que condiciona uma sociedade saudável associa-se também à disseminação de práticas e comportamentos “promotores de saúde”, permitindo consolidar uma visão de que a saúde é fruto de um amplo processo social no qual a assistência médica é apenas um de seus componentes.

Promover práticas e estilos que conduzam à uma vida mais saudável e à uma  qualidade de vida plena não devem resumir-se a um simples modismo, algo passageiro para, em seguida, serem descartadas. Ao contrário, elas devem se constituir em objetivos a ser alcançado no presente estágio de desenvolvimento da humanidade e nos mobilizar constantemente para que se tornem realidade.

Veja abaixo algumas dicas para uma vida mais feliz e com qualidade.

10 MANDAMENTOS DA QUALIDADE DE VIDA

1) Ame a sua família;

2) Seja educado;

3) Respeite a sua saúde;

4) Pense positivo;

5) Seja organizado;

6) Seja prevenido;

7) Seja atencioso;

8) Tenha paciência;

9) Fale sempre a verdade;

10) Cumpra sempre o combinado.


Promoção da saúde e qualidade de vida: mobilize-se por essas ideias.


Dia Nacional da Mobilização pela Promoção da Saúde e Qualidade de Vida: 08 de abril



Dia Nacional da Saúde

O dia 5 de agosto foi instituído no Brasil, em 1967, como o Dia Nacional da Saúde. O objetivo da data é promover a conscientização sobre a importância do tema, relembrar os cuidados que cada um deve ter com o corpo, mente e espírito e promover a educação sanitária. O dia foi escolhido em homenagem ao nascimento do médico brasileiro Oswaldo Cruz (1872-1917), que além de sua inestimável contribuição na erradicação de epidemias de peste, febre amarela e varíola, contribuiu para a estruturação das ações de saúde pública no Brasil, para a criação do Instituto Soroterápico Federal (hoje Fundação Oswaldo Cruz) e para a fundação da Academia Brasileira de Ciências.

Saúde não é somente uma palavra que caracteriza a ausência de doenças, uma vez que esse conceito envolve aspectos mais amplos, como o bem-estar físico, mental e social. Segundo a Constituição Federal de 1988, Artigo 196, ela é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.

Diante desses aspectos, fica claro que a promoção da saúde depende de comportamentos individuais e também de aspectos de dimensão coletiva sendo, este último caso, uma questão intimamente relacionada às políticas públicas.

Propiciar às pessoas condições dignas de vida é um fator determinante na prevenção contra a ausência de saúde – o que não significa que devemos esperar somente intervenções externas para que, de fato, conquistemos uma boa saúde.

Nos dias atuais, com tantas atividades, esquecemos do que é mais importante para a nossa vida e nossa saúde e, neste contexto, o Sistema Saúde Integral (SSI Saúde) alerta que todo o dia é dia de cuidar da saúde e que boas práticas que visem a sua promoção e a prevenção de doenças devem ser observadas no cotidiano tais como: alimentação saudável, realização de atividades físicas regulares, um bom descanso, cuidados com a higiene pessoal, horas de lazer, trabalho digno,  saneamento básico, estar em harmonia e equilíbrio consigo mesmo e com os outros, ter e praticar sua espiritualidade, contribuem não somente para uma boa saúde, mas também para uma vida com qualidade e plena de felicidade.


O cuidado com a saúde é um hábito que todos devem ter permanentemente.


Dia Nacional da Saúde: 05 de agosto



Dia Nacional da Vacinação

A vacina nada mais é do que um estímulo ao sistema imunológico, o qual é o responsável pela proteção do nosso organismo. Sempre que um vírus ou bactéria invade o corpo o sistema imunológico entra em ação para impedir danos à saúde. A vacina é a forma segura e eficaz de levar o sistema imunológico a desenvolver defesas contra determinadas doenças sem que isso represente contaminação. Isso acontece porque as vacinas são compostas por antígenos, substâncias capazes de interagir com o sistema imunológico como o faz uma bactéria, um vírus ou célula estranha ao organismo.

Ao receber o antígeno o organismo produz uma “resposta imune” capaz de proteger o indivíduo caso ocorra um novo contato com aquele agente. Mas é necessário estar atento, pois alguns vírus, como o da gripe, são capazes de se modificar com o passar do tempo tornando-se mais fortes. Para acompanhar as mutações dos vírus as vacinas contra gripe são alteradas periodicamente sendo fundamental se vacinar todos os anos para evitar o contágio.

Não somente as crianças precisam realizar as vacinas previstas, mas também adolescentes adultos e idosos (veja os calendários de vacinação específicos para cada fase da vida). As vacinas podem  ser encontradas em postos públicos de  saúde ou  em clínicas particulares,  são  eficazes e seguras. Apesar disso, podem  surgir reações leves e secundárias após a sua aplicação como dor, inchaço no local, febre  e mal-estar. Sempre é importante lembrar a vacina é uma das maiores vitórias da medicina, e muitos de nós não estaríamos vivos se não fosse a vacinação, além disso, é a forma mais fácil de se proteger de uma doença, e melhor do que se submeter a um tratamento para se curar.

Lembre-se: O Cartão de Vacinação é um documento de comprovação de imunidade. Deve ser guardado junto com documentos de identificação pessoal. É importante que seja apresentado nos atendimentos médicos de rotina e fundamental que esteja disponível  nos casos de acidentes.


Dia Nacional da Vacinação: 17 de outubro


Dia Nacional de Prevenção de Acidentes do Trabalho

Acidente de trabalho é aquele que ocorre pelo exercício do trabalho, provocando lesão corporal ou perturbação funcional, permanente ou temporária, que causa a morte, a perda ou a redução da capacidade para o trabalho.

No dia 27 de julho celebra-se o Dia Nacional de Prevenção de Acidentes do Trabalho, data oficializada em 1972, que representa os esforços da sociedade brasileira por melhorias nas condições de saúde e segurança no trabalho e para conscientizar e lembrar as pessoas da importância de estarem sempre seguras e protegidas na hora de desempenhar suas tarefas no trabalho seja qual for a profissão. Ao longo dos anos, um conjunto de medidas legislativas foram aplicadas para garantir proteção e direitos aos trabalhadores.

Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), os acidentes do trabalho são a causa da morte de dois milhões de pessoas por ano. Somados a esses números, são registrados em média quase 270 milhões de acidentes não fatais e 160 milhões de novos casos de doenças ocupacionais. No Brasil diariamente ocorrem centenas de acidentes de trabalho, sendo muitos com consequências leves e outros em que as lesões são muito graves e fatais.

O Brasil foi o primeiro país a ter um serviço obrigatório de segurança e medicina do trabalho em empresas com mais de 100 funcionários, e essa iniciativa aconteceu a partir do decreto do dia 27 de julho de 1972, feito pelo então ministro do trabalho Júlio Barata.

Cabe principalmente às empresas fornecerem equipamentos e condições seguras de trabalho para seus funcionários. Mas a garantia de um trabalho seguro depende também da responsabilidade dos trabalhadores, seguindo as regras determinadas que garantam a prevenção de acidentes.

A gestão de saúde e segurança no trabalho através de boas práticas de proteção, contra os riscos presentes no ambiente de trabalho é fundamental para a prevenção e redução dos acidentes, pois todos saem ganhando. A empresa torna-se mais competitiva, com menores custos, maior produtividade e, sobretudo, garante a integridade física dos trabalhadores através de ambientes de trabalho mais agradáveis e seguros. O trabalhador desenvolve consciência individual de prevenção, sente-se mais seguro e confiante em seu trabalho e contribui coletivamente para a saúde e bem estar de todos.

Na grande maioria das vezes os acidentes e doenças no trabalho podem ser evitados através da prática de dicas relativamente simples de prevenção tais como:


• Conheça os riscos da atividade que desenvolve e quais as formas de proteção para reduzir esses riscos;

• Esteja atualizado e participe sempre das ações (cursos, palestras) oferecidos pela empresa;

• Siga todas as regras de segurança na realização de suas atividades, especialmente as perigosas;

• Mantenha seu local de trabalho organizado, não deixe objetos fora dos seus lugares ou mal arrumados;

• Use sempre os vestuários e equipamentos de proteção;

• Siga rigorosamente os procedimentos operacionais, não improvise e na dúvida PARE;

• Participe das campanhas de saúde e segurança e faça seus exames periódicos;

• Esteja sempre atento à percepção dos riscos.


Prevenir é importante para reduzir perdas humanas e financeiras.


Dia Nacional de Prevenção de Acidentes do Trabalho: 27 de julho



Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), morte materna é todo falecimento causado por problemas relacionados à gravidez ou ao parto ou ocorrido até 42 dias após o mesmo. A OMS considera aceitável o índice de 20 mortes maternas para cada 100 mil nascidos vivos; entre 20 e 49 mortes, o índice é considerado médio; entre 50 e 149 mortes é alto e, acima de 150, muito alto. No Brasil, a taxa oficial de mortalidade materna é de 64,8 mortes de mulheres para cada 100 mil nascidos vivos. Mas, sabe-se que esse número não reflete a realidade, pois nem todas as mortes são registradas como tendo causas relacionadas à gravidez ou ao parto.

Desde 1984, o dia 28 de maio foi instituído como o Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher. A partir da Constituição Federal de 1988 e com o processo de consolidação do Sistema único de Saúde (SUS), o Ministério da Saúde declarou o dia 28 de maio como Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna, chamando atenção para a necessária melhoria dos serviços de atenção ao pré-natal e ao parto e preparo dos profissionais de saúde.

A morte materna é um indicador de desenvolvimento e expressa também a qualidade da saúde pública. São mortes evitáveis, em sua grande maioria. A rigor, nenhuma mulher deveria morrer em razão do parto no mundo atual. Qualquer morte materna é grave, já que se trata de mulheres em idade reprodutiva que deveriam ter assegurado o direito a um parto saudável.

As principais causas da mortalidade materna são a hipertensão arterial, a hemorragia, as complicações decorrentes do aborto realizado em condições inseguras, a infecção pós-parto e as doenças do aparelho respiratório. Muitas vezes a realização de exames simples pode prevenir complicações para a grávida e para o bebê. Por vezes, as mulheres correm riscos porque não se sabe que elas têm pressão alta ou diabetes. Além disso, o risco de morte materna está diretamente relacionado ao nível socioeconômico das mulheres. Pesquisas mostram que o maior índice no Brasil é de mulheres pobres, em especial as mulheres negras. As mortes maternas geralmente estão relacionadas à falta de acesso a serviços de saúde de qualidade, principalmente nas áreas rurais. Também contribuem para esse grave problema as condições sociais e econômicas desfavoráveis das mulheres, que incluem pouca escolaridade, baixa renda e desemprego. A falta de acesso e o uso inadequado de métodos anticoncepcionais, além do número insuficiente de serviços para o atendimento da mulher vítima de violência sexual, também resultam em um grande número de gestações indesejadas e, consequentemente, na realização de abortos clandestinos, feitos sem condições de segurança, que aumentam os riscos de morte materna.

Embora no Brasil grande parte das gestantes faça o pré-natal, ainda falta qualidade na assistência. É preciso também que haja maior organização das maternidades para que a gestante saiba, ainda durante o pré-natal, em qual hospital irá dar à luz. Para reduzir o número de mortes maternas no país, é muito importante dar atenção ao pré-natal e a um bom parto. 

A melhoria da assistência ao pré-natal, parto e puerpério, sem dúvida, é uma meta possível e uma política eficaz para a redução da mortalidade materna.


Reduzir a mortalidade materna é possível.


Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher e Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna: 28 de maio



Dia Nacional do Idoso

No dia 1 de outubro se comemora o Dia Internacional da Terceira Idade ou Dia do Idoso, criado em 2003 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), com o objetivo de estimular a sociedade a refletir sobre a situação do idoso e valorizar e  sensibilizar a população sobre o respeito à pessoa idosa. Até o ano de 2006, esta data era celebrada, no Brasil, no dia 27 de setembro, porém, em razão da criação do Estatuto do Idoso em 1o de outubro, o Dia do Idoso foi transferido para esta data de acordo com a lei número 11.433 de 28 de dezembro de 2006.

A população idosa, ou seja, de pessoas com idade acima de 60 anos em países em desenvolvimento, cresce exponencialmente em várias regiões do mundo. Isto se deve às facilidades da vida moderna e melhorias sociais, assim como assistência em saúde, possibilitadas pelo crescimento econômico e pelo acesso às novas tecnologias e terapias para enfrentar as doenças e causas de morbidade e mortalidade. 

Dados do Censo Demográfico de 2010 realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelam um aumento da população com 65 anos ou mais, que era de 4,8% em 1991, passando a 5,9% em 200 e chegando a 7,4% em 2010. A região Norte, apesar do contínuo envelhecimento observado nas duas últimas décadas, ainda apresenta uma população bastante jovem, devido aos altos níveis de fecundidade do passado. Já as regiões Sudeste e Sul são as que apresentam as maiores proporções de idosos na população total, mantendo-se como as duas regiões mais envelhecidas do País. Ambas tinham em 2010 8,2% da população formada por idosos com 65 anos ou mais.

Esse envelhecimento populacional traz uma série de desafios para os governos e as sociedades para a promoção de uma melhor qualidade de vida para os idosos uma vez que eles estão inseridos na sociedade como líderes, trabalhadores, aposentados, detentores de sabedoria, avós, cuidadores e voluntários. Trata-se de um fenômeno extraordinário com consequências para cada comunidade, cada instituição e cada pessoa, jovem ou velha. Com o aumento da população idosa, multiplicam-se os desafios, tais como: acesso à educação; desfrutar de uma boa longevidade e boa saúde física e mental; participação ativa dos idosos na sociedade; combate ao abuso, à negligência, violência e maus tratos, combate à falta de respeito e discriminação de que são vítimas os idosos; inserção do idoso no mercado de trabalho; entre outros.

Os idosos não são uma categoria à parte, todos nós continuamos a nos desenvolver, envelhecemos dia a após dia e aos jovens cabe saber que devemos oferecer o carinho e atenção aos mais velhos. O mundo está pronto para os jovens, porque existiram outros jovens que hoje estão em outra fase da vida, a velhice. E ela um dia nos terá. É inevitável o curso da vida. Faz parte do ciclo vital.

Cuidar dos idosos é tratar o nosso próprio futuro com dignidade e o dia 1o de outubro nos permite parar e refletir como tratamos “os mais velhos”, pois se tudo ocorrer como esperamos, um dia seremos como eles.


Idosos: eles têm muito a nos ensinar sobre a vida.


Dia Internacional da Terceira Idade e Dia Nacional do Idoso: 1 de outubro



Dia Panamericano da Saúde

O Dia Panamericano da Saúde é comemorado no dia 2 de dezembro e esta é mais uma data para lembrarmos da importância dos cuidados com a qualidade de vida e saúde. Nessa data o que vale é vermos no nosso corpo o melhor instrumento para interagir com mundo e aprender a cuidar dele com carinho.

Saúde não é somente uma palavra que caracteriza a ausência de doenças, uma vez que esse conceito envolve aspectos mais amplos, como o bem-estar físico, mental e social. Segundo a Constituição Federal de 1988, Artigo 196, ela é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.

Diante desses aspectos, fica claro que a promoção da saúde depende de comportamentos individuais e também de aspectos de dimensão coletiva sendo, este último caso, uma questão intimamente relacionada às políticas públicas.

Propiciar às pessoas condições dignas de vida é um fator determinante na prevenção contra a ausência de saúde – o que não significa que devemos esperar somente intervenções externas para que, de fato, conquistemos uma boa saúde.

Nos dias atuais, com tantas atividades, esquecemos do que é mais importante para a nossa vida e nossa saúde e, neste contexto, o Sistema Saúde Integral (SSI Saúde) alerta que todo o dia é dia de cuidar da saúde e que boas práticas que visem a sua promoção e a prevenção de doenças devem ser observadas no cotidiano tais como: alimentação saudável, realização de atividades físicas regulares, um bom descanso, cuidados com a higiene pessoal, horas de lazer, trabalho digno,  saneamento básico, estar em harmonia e equilíbrio consigo mesmo e com os outros, ter e praticar sua espiritualidade, contribuem não somente para uma boa saúde, mas também para uma vida com qualidade e plena de felicidade.


O cuidado com a saúde é um hábito que todos devem ter permanentemente.


Dia Panamericano da Saúde: 02 de dezembro



Diabetes Mellitus

A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que permite a entrada de glicose (açúcar) nas células a partir do sangue, para que ela seja utilizada para a produção de energia. O diabetes mellitus ocorre quando há falta de insulina ou ela não atua de forma eficaz, impedindo a entrada de glicose nas células e causando o aumento do seu nível no sangue, chamado de hiperglicemia. Um em cada 10 adultos no mundo tem diabetes. No Brasil há cerca de 13,4 milhões de pessoas com diabetes.

O diagnóstico do diabetes é feito através da dosagem do nível de glicose no sangue (glicemia). O diabetes surge por uma associação entre fatores genéticos e estilo de vida. Entre os mais conhecidos estão a obesidade e o sedentarismo. Os principais tipos de diabetes são o tipo 1 e o tipo 2. O diabetes tipo 1 ocorre em crianças, jovens e adultos jovens, necessitando sempre de insulina para o seu controle. Já o diabetes tipo 2 é o tipo mais frequente de diabetes, aparecendo geralmente, nas não necessariamente,  na idade adulta (após os 40 anos).

Os principais sintomas são: muita sede, excesso de urina, muita fome, cansaço e emagrecimento, mas outros sinais e sintomas também podem ocorrer como infecções de repetição, alterações visuais, desânimo, fraqueza, tonturas, formigamento nas mãos e pés e dormência. Porém, muitas pessoas diabéticas não apresentam sintomas, portanto, é importante pesquisar diabetes principalmente em pessoas com mais de 40 anos de idade.

As complicações do diabetes são divididas em agudas e crônicas. As complicações agudas são a hiperglicemia (alta taxa de açúcar no sangue) e a hipoglicemia (baixa taxa de açúcar no sangue). Já as complicações crônicas são aquelas que aparecerão no curso dos anos de evolução da doença caso o tratamento não seja feito ou seja feito de forma irregular. As principais são os problemas cardiovasculares (derrame cerebral, angina e infarto), lesão da retina podendo levar à cegueira (retinopatia), alteração nos nervos dos genitais, pernas e pés, provocando diminuição ou perda de sensibilidade (neuropatia) e lesão dos rins com insuficiência renal (nefropatia).

O diabetes não tem cura, mas tem controle. A manutenção da glicemia em nível normal ou próximo do normal, leva ao desaparecimento dos sintomas e previne as complicações, proporcionando uma vida saudável. O tratamento do diabetes envolve dois conjuntos de medidas: as não medicamentosas (educação em diabetes, plano alimentar, atividades físicas e monitorização dos níveis de glicose no sangue) e as medidas medicamentosas (medicação oral e insulina).

Para prevenir e controlar o diabetes é importante uma alimentação saudável (evitando os açúcares) controle do peso, a prática regular de atividades físicas, evitar o tabagismo, evitar o consumo de álcool e controlar a pressão arterial. Consulte o médico regularmente.



Doação de Órgãos

No Brasil, para ser doador de órgãos e tecidos, não é preciso deixar nada por escrito em nenhum documento. Basta comunicar a família este desejo e a doação somente acontecerá após autorização familiar.

Os órgãos e tecidos que podem ser doados são coração, córneas, fígado, intestino, ossos, pele, pulmões, pâncreas, rins, tendões, válvulas cardíacas e vasos. Um único doador pode beneficiar vários receptores.

Existem dois tipos de doador: o doador vivo e o doador falecido. O doador vivo é toda a pessoa saudável que deseje fazer a doação. O doador vivo pode doar a medula óssea, órgãos (que devem ser duplos, como no caso do rim, ou que possam ser retiradas partes, como nos casos do fígado ou do pulmão, sem prejuízo para a função do órgão ou para a saúde do doador) e pele. Já o doador falecido é a pessoa com morte encefálica, que consiste na perda total e irreversível da função do encéfalo decorrente de traumatismo craniano ou derrame cerebral. A morte encefálica é equivale ao óbito. O doador falecido pode doar órgãos e tecidos (em caso de morte encefálica ou até seis horas após a parada cardíaca).

O transplante é o procedimento cirúrgico que consiste na retirada de órgãos ou tecidos, de um doador, para implantá-lo em uma pessoa doente (receptor). O resultado do transplante está diretamente relacionado à situação do receptor e suas particularidades, sendo que a chance de sucesso é alta.

As situações que impedem a doação são: doador não identificado, causa da morte não identificada, doador portador do vírus HIV ou de hepatite, com histórico de câncer, com septicemia (infecção não controlada) ou em choque hemodinâmico.

Muitos desconhecem a triste realidade de milhares de pessoas, que contraem todos os anos, doenças, cujo único tratamento é um transplante e que, em função disso, ficam à espera de um doador, que muitas vezes não aparece. O drama da espera adoece também um círculo grande de pessoas da família e amigos. Quem não teve um amigo ou um familiar nesta situação, não imagina a dor e a ansiedade pela espera por uma doação.

A participação de todos em prol da doação de órgãos pode melhorar a realidade dos transplantes no Brasil. Informe-se sobre a doação e passe as mensagens adiante. Você ajudará a prolongar a linha da vida de muitas pessoas.


A doação de órgãos é um ato de solidariedade. Seja um doador e faça muita gente feliz.


Dia Nacional da Doação de Órgãos: 27 de setembro



Doação de Sangue

O sangue é a única forma de tratamento para vários pacientes que dependem desse gesto de solidariedade.

Doar sangue não dói nada e é bem mais fácil que você pensa. O intervalo de doações é de 60 dias para os homens (até 4 doações por ano) e de 90 dias para as mulheres (até 3 doações por ano).



Para doar você só precisa: 


• Ter idade entre 16 e 69 anos (jovens com 16 e 17 anos devem estar acompanhados de um representante legal);

• Ter idade máxima de 60 anos para primeira doação;

• Peso superior a 50 kg;

• Sentir-se bem e com saúde;

• Estar alimentado;

• Apresentar documento com foto, expedido por órgão oficial.


Você não pode doar sangue se:


• Fez cirurgia recente;

• Estiver em jejum prolongado ou ingeriu alimentos gordurosos nas últimas 4 horas;

• Tomou bebida alcoólica há menos de 12 horas;

• Fez endoscopia nos últimos 6 meses;

• Fez tatuagem ou colocou piercing nos últimos 6 meses;

• Teve gripe ou febre nos últimos 7 dias;

• Teve hepatite viral após os 11 anos de idade;

• Estiver grávida ou amamentando;

• Usa determinados medicamentos/drogas;

• Teve contato sexual com múltiplos parceiros nos últimos 12 meses;

• Não tiver dormido pelo menos 6 horas na noite anterior à doação.


Cuidados pós-doação:


• Evitar esforços físicos exagerados por pelo menos 12 horas;

• Aumentar a ingestão de líquidos;

• Não fumar por cerca de 2 horas;

• Evitar bebidas alcoólicas por 12 horas;

• Manter o curativo no local da punção por pelo menos de quatro horas;

• Não dirigir veículos de grande porte, trabalhar em andaimes, praticar paraquedismo ou mergulho.


Doe sangue. Sangue é vida! Informe-se junto ao plano de saúde ou no Hemocentro de sua cidade.

 

Dia Internacional do Doador de Sangue: 25 de novembro



Doença de Parkinson

A Doença de Parkinson é uma doença neurológica causada pela morte de células nervosas localizadas no cérebro. 

A Doença de Parkinson é uma das doenças neurológicas mais comuns dos dias de hoje. Ela está presente em todas as regiões do mundo, acomete homens e mulheres e atinge todas as raças e todas as classes socioeconômicas. Os sintomas geralmente se iniciam após os 50 anos de idade. Algumas pessoas podem iniciar os sintomas antes dos 40 anos, apresentando a chamada Doença de Parkinson de início precoce.

A causa ainda não é conhecida. Parece que múltiplos fatores combinados acabam determinando o seu aparecimento. Um deles seria uma predisposição genética para o desenvolvimento da doença. Outro fator importante seria a exposição ambiental a substâncias que seriam tóxicas aos neurônios, principalmente aos dos indivíduos portadores da predisposição genética.

As manifestações principais são provocadas pela perda de um grupo especial de neurônios que produzem dopamina, neurotransmissor envolvido com a realização dos movimentos. Os principais sintomas são tremores (geralmente nas mãos, de um lado só, ou pelo menos predominando em um lado do corpo), lentidão (para atividades manuais ou para andar), rigidez, a escrita torna-se menor, dificuldade para andar e a voz torna-se baixa e monótona.

O diagnóstico é feito pelos sintomas e sinais que o paciente apresenta e pelo exame clínico que o médico realiza. Infelizmente não há nenhum tipo de exame complementar que confirme o diagnóstico. Os exames de neuroimagem (tomografia ou ressonância) servem apenas para afastar alguma dúvida quanto à possibilidade de diagnóstico de outras doenças, que podem às vezes imitar a Doença de Parkinson.

Não existe ainda cura da Doença de Parkinson, porém existe o tratamento para aliviar os sintomas e proporcionar uma melhor qualidade de vida. Podem-se utilizar várias medidas no tratamento como medicamentos, fisioterapia, fonoterapia, apoio psicológico, cirúrgico, orientação nutricional e participação de atividades sociais. O tratamento não é completo sem o apoio da família. A família tem um papel fundamental na vida de um paciente com Doença de Parkinson no sentido de sempre apoiá-lo e ampará-lo nos momentos difíceis e também estimulá-lo para que participe de atividades sociais.

Até o momento não é possível prevenir a Doença de Parkinson, porém existe a perspectiva de que em breve possamos identificar as pessoas com maiores chances de desenvolver a doença, e assim no futuro poder-se-ia produzir medicamentos que impedissem, ou pelo menos retardassem, o aparecimento das manifestações da doença.


A Doença de Parkinson existe. O tratamento também.


Dia Nacional do Parkinsoniano: 04 de abril

Dia Mundial de Conscientização da Doença de Parkinson: 11 de abril



Doenças sexualmente transmissíveis (DST)

As doenças sexualmente transmissíveis (DST) são um grupo de doenças cuja principal forma de transmissão é o contato sexual vaginal, anal ou oral. 


Causas


Os agentes causadores das DST podem ser vírus, bactérias e outros parasitas. As pessoas que estão em maior risco para contrair uma DST são: quem tem relações sexuais anal, oral ou vaginal sem camisinha; quem usa drogas injetáveis e compartilha seringas; pessoas que recebem transfusão de sangue não testado e aqueles cujo companheiro ou companheira tem relação sexual com outras pessoas sem usar camisinha (múltiplos parceiros sexuais).


Diagnóstico


Nos homens as DST são mais facilmente identificadas do que nas mulheres, pois nelas o órgão genital é interno. Elas podem ser assintomáticas ou se manifestar por coceira, corrimento, verrugas, ínguas na virilha, manchas na pele, bolhas, feridas, ardência para urinar e dor nas relações sexuais. 

As principais DST são uretrite gonocócica (gonorreia), sífilis, cancro mole, linfogranuloma venéreo, donovanose, pediculose pubiana (chato), herpes genital, condiloma acuminado, hepatite B e HIV-AIDS. 

As DST podem causar doenças graves, problemas sexuais, esterilidade, aborto, nascimento de bebês prematuros, deficiência física ou mental nos bebês de grávidas contaminadas e alguns tipos de câncer. Além disso, quando uma pessoa apresenta uma DST tem uma chance maior de pegar outra DST, inclusive a AIDS.


Tratamento


A maioria das DST tem cura, mas devem ser corretamente e precocemente diagnosticadas e tratadas pelo médico. Cada DST tem um tipo de tratamento e o paciente deve só tomar o remédio indicado pelo médico, na quantidade certa e nas horas certas; continuar o tratamento até o fim, mesmo que não se tenha mais nenhum sinal nem sinta mais nada; levar o parceiro sexual para também ser tratado; realizar apenas o tratamento indicado por um médico e não aceitar indicações de vizinhos, parentes, funcionários de farmácias e outros; evitar relações sexuais durante o tratamento. 


Prevenção


A principal forma de prevenção das DST é o uso da camisinha em todas as relações sexuais, mas os cuidados gerais de higiene também devem ser observados tais como: evitar o uso de roupas ou objetos íntimos de outras pessoas; lave-se após o término da relação sexual; ao utilizar banheiro público, não sentar no vaso sanitário.


Qualquer pessoa pode contrair DST: fique atento. Use sempre a camisinha em todas as relações sexuais!



Donovanose

A donovanose, também conhecida como granuloma venéreo ou granuloma inguinal, é uma doença sexualmente transmissível (DST) causada por uma bactéria chamada Calymmatobacterium granulomatis, que afeta a pele e mucosas da genitália, virilha e ânus. A doença é mais comum nas regiões subtropicais, afetando igualmente homens e mulheres, sendo mais frequente na faixa etária dos 20 aos 40 anos.


Causa:

A transmissão ocorre principalmente por contato direto com as lesões durante a relação sexual.


Sintomas:

As manifestações clínicas incluem caroços e feridas vermelhas, e sangramento fácil. Após a infecção, surge uma lesão nos órgãos genitais que lentamente se transforma em úlcera ou caroço vermelho. Essa ferida pode atingir grandes áreas, danificar a pele em volta e facilitar a infecção por outras bactérias. Como as feridas não causam dor, a procura pelo tratamento pode ocorrer tardiamente, aumentando o risco de complicações.


Diagnóstico:

O diagnóstico da donovanose é feito através do quadro clínico e da biópsia dos tecidos afetados.


Tratamento:

O tratamento é feito com o uso de antibióticos. Recomenda-se retorno após término do tratamento para avaliação de cura da infecção. É necessário evitar contato sexual até que os sintomas tenham desaparecidos e o tratamento finalizado.


Prevenção:

Como no caso da maioria das DSTs, o uso de camisinha e a higienização genital antes e após a relação sexual são importantes para preveni-la.

 


Fonte: Medicina Preventiva
Autor: Dr. André Scalia


Drogas

Droga é toda a substância que provoca alterações físicas e psíquicas numa pessoa.

Existem duas categorias de drogas: as lícitas, comercializadas de forma legal (como o cigarro e o álcool) e as ilícitas, que são aquelas ilegais e proibidas por lei (todas as outras, como: maconha, cocaína, crack e ecstasy). Todas elas contêm substâncias que causam dependência em maior ou menor grau, isto é, capacidade de viciar a pessoa e mantê-la viciada.

Sabe-se que entre dez pessoas que consomem álcool, uma ficará dependente. No caso do cigarro, de cada dez fumantes, cinco ficarão dependentes. Já a maconha, a cocaína e o ecstasy possuem um grau muito maior de dependência. Em cada dez consumidores, oito ficarão dependentes. Para os usuários do crack o poder de dependência é ainda maior: nove entre dez usuários ficarão viciados.

O uso de drogas é hoje um dos principais problemas de saúde no Brasil, colocando em risco o futuro de toda uma geração. Devido ao alto poder de dependência, as drogas geram uma dificílima recuperação.

Os mecanismos que levam à dependência envolvem a produção de serotonina pelo cérebro do usuário, induzida pela droga. Essa substância traz sensação de bem-estar. Porém as drogas induzem a produção em larga escala da serotonina e, em consequência, a pessoa não consegue mais ficar sem ela.

Muitas pessoas tentam se livrar do vício das drogas, passando por tratamentos e clínicas de recuperação, mas infelizmente uma boa parte dessas pessoas retornam ao vício recorrendo ao crime para sustentar a sua dependência. A dependência os leva a conhecer a degradação física, moral e social, reservando, por fim, uma vida solitária, infeliz e desperdiçada.

Alguns indícios de que a pessoa está usando drogas são: mudanças de comportamento que pode ser através de oscilação do humor, irritabilidade, medo ou euforia excessivos, baixa autoestima e isolamento social; novos hábitos imprevisíveis; falta de interesse nos estudos; fuga das responsabilidades; desleixo com a aparência; pupilas dilatadas e olhos avermelhados; ponta dos dedos queimadas; alimentação e horário de sono desregrados e novas amizades.

A prevenção é a forma mais eficaz para evitar a dependência às drogas. Para isso é fundamental o apoio dos familiares, mostrando o caminho para resgatar e conservar os valores morais e éticos, mostrando com o exemplo e informando-os como lidar com o problema.


As drogas iludem. Não se iluda com elas. Fique por dentro. Informe-se.


Dia Nacional de Combate às Drogas: 25 de junho

Dia Internacional Sobre o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas: 26 de junho



voltar